Serviços

Projeto Estrutural - Madeira


A utilização da madeira na construção civil vai além da fabricação de esquadrias, podendo também ser empregada como elemento estrutural numa edificação, citando como exemplo construções rurais, passarelas, pontes, quiosques, postes de linha de transmissão de energia elétrica.

No Brasil a maioria das obras em madeira são executadas sem o acompanhamento de um responsável técnico, o que pode resultar uma estrutura insegura, com alto custo e de baixa durabilidade.

Projeto  Estrutural de Madeira Sorocaba

A utilização de elementos estruturais feitos de madeira no Brasil e no mundo, tem crescido ao longo das duas últimas décadas, graças a pesquisas realizadas em centros de tecnologia e universidades, no intuito de torná-la um material mais acessível comparado ao aço e concreto.

Importante ressaltar que toda madeira utilizada na construção civil deve ser certificada pelo IBAMA, o que garante um uso sustentável, cumprindo as regras de reflorestamento.

A norma brasileira NBR 7190 aborda alguns tópicos relevantes que devem contemplar a elaboração do projeto de estruturas de madeira.

1 - Durabilidade da madeira
O projeto deve garantir a durabilidade da madeira por décadas, prevendo a ventilação das faces, facilitando o escoamento de águas e especificando o tratamento preservativo adequado para o tipo de madeira utilizada, deve também ser desenvolvido visando permitir a inspeção e os trabalhos de conservação.

2 - Cuidados na execução das estruturas
Todos os serviços de carpintaria devem ser feitos por profissionais qualificados, especializados e com habilidade em executar as junções das peças de madeira com ângulos, encaixes e articulações perfeitamente ajustados em todas as superfícies. Todas as ranhuras e perfurações para os meios de ligações devem ser feitas por equipamentos apropriados e perfeitamente ajustados para cada necessidade. Caso alguma peça, na montagem dos conjuntos, apresente algum tipo de empenamento ou não se adapte perfeitamente as ligações, deve ser substituída para não prejudicar o resultado final da estrutura.

3 - Dimensões mínimas de elementos estruturais e dos conectores
Outro item que a norma detalha, e que deve ser garantido pelo projetista da estrutura, são as dimensões mínimas para seções transversais dos elementos estruturais, como vigas e barras longitudinais, a espessura mínima das chapas de aço de ligação, as dimensões mínimas das arruelas para fixação dos parafusos e os diâmetros mínimos de pinos e cavilhas.

Vantagens

- Durabilidade;
- Versatilidade;
- Permite ligações e emendas;
- Isolante acústico e térmico natural;
- Alta resistência mecânica (resiste tanto a esforços de compressão como de tração);
- Recurso natural renovável;
- Textura natural com grande variedade de padrões (proporciona elegância aos projetos).

Desvantagens

- Necessidade de processo de secagem artificial;
- Requer tratamento químico (criar resistência a agentes biológicos);
- Sensibilidade à umidade;
- Material altamente combustível;
- Limitação na confecção de fôrmas alongadas e seções transversais esbeltas.

Voltar para Projeto Estrutural